imagem

História e Conceito

image

Um hotel 5* listado como Monumento Histórico

A história do Château d’Audrieu está intimamente ligada à história da Normandia e seu mais famoso representante, William, o Conquistador. Ele se tornou William II da Normandia em 1035, após a morte de seu pai. Transformou a Normandia em um ducado poderoso, que era independente do Reino da França. Após sua vitória na Batalha de Hastings, William tornou-se Rei da Inglaterra em 1066. Seu ato épico é ilustrado por Bayeux Tapestry, um bordado precioso do século 11, listado no registro da Memória do Mundo pela UNESCO e preservado pelo Centro de William, o Conquistador, na cidade de Bayeux.

O vilarejo de Audrieu, já conhecido durante a Antiguidade como Alderium, está a apenas alguns quilômetros de distância de Bayeux. Foram encontrados aqui resquícios da cultura galo-romana e do castelo feudal. O vilarejo também abriga a igreja gótica Notre Dame d’Audrieu.

O castelo localiza-se próximo ao vilarejo. Sua arquitetura atual data do início do século 18, mas sua história remonta ao século 11. Originalmente, a propriedade feudal de Audrieu pertenceu à família Percy. Um dos membros da família, William de Percy, participou da batalha de Hastings junto com William, o Conquistador. Segundo a lenda, Sir de Percy foi cozinheiro particular de William, o Conquistador.

Conta-se que em Hastings, ele nocauteou alguns saxões atingindo-os com uma escumadeira. Por esse feito foi enobrecido, tornou-se o primeiro lorde de Hastings e deu origem ao ducado de Northumberland. Seus descendentes fundaram a abadia Juaye-Mondaye (bem próxima ao hotel e merece uma visita) e construíram o castelo.

Em 1953, Audrieu foi transmitida à família Séran, após o casamento de Marguerite de Percy e Guillaume de Séran, que era um cavalheiro da câmara do rei. Ele viu sua terra se elevar a um baronato em 1615. O castelo foi vendido durante a Revolução Francesa e retornou à família Séran durante a Restauração Bourbon.

Tornou-se propriedade da família Livry-Level após o casamento de Nicole Saillard de Boisberthe, descendente da família Séran, e Philippe Livry-Level (1898-1960), que era um membro da resistência francesa, piloto das Forças Aéreas Francesas Livres, ex-prefeito de Audrieu e ex-parlamentar de Calvados.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o exército alemão estabeleceu seus quartéis-generais aqui. Em 8 de junho de 1944, 24 membros da 3ª Divisão da Infantaria Canadense e dois soldados britânicos foram assassinados nos pomares, matas e clareiras do castelo.

O castelo foi listado como um monumento histórico desde 27 de dezembro de 1967. Tornou-se um hotel 5 estrelas e um membro da prestigiosa Associação Relais et Châteaux em 1977.

Leia mais Menos

image

Arquitetura e Decoração

O castelo, listado como um Monumento Histórico, permanece inalterado. No entanto, no interior, o arquiteto Philippe de Lanouvelle, responsável pela reforma do castelo e de acordo com a nova gestão, tomou a decisão de “rejuvenescer” todo o interior, ao mesmo tempo aprimorando a energia da época em que o Castelo foi construído (1715) e aumentando o conforto.

“Em primeiro lugar, inspiramo-nos nas cores e desenhos da época encontrados em algumas reedições dos tecidos Frey ou Canovas. Por isso, nos quartos, em vez de fazermos a mesma pintura em todas as quatro paredes, optamos por revestir a parede da cabeceira com tecido Jouy e a parede oposta, dando um efeito de tapeçaria. As outras partes são extremamente simples para assim evitarmos alterar o estilo original do castelo”, explica Philippe de Lanouvelle.

Alguns detalhes, como o dourado, acentuam o castelo, em especial os destaques dourados das molduras do primeiro andar.

Em relação ao novo layout dos quartos, uma atenção especial tem sido dada às camas, a maioria mede 200 cm x 200 cm: cabeceiras decorativas inspiradas no século 18 e mais atuais; criados-mudos embutidos e realçados com dourado; iluminação inspirada nas máscaras venezianas do século 18 associadas com LED.

O Château d’Audrieu é mobiliado com móveis secundários clássicos, inspirados nos séculos 17 e 18, com referência à sua história e tradição. Este mobiliário é complementado com cadeiras tradicionais do fabricante Jean-Pierre Besse da região de Vosges, perpetuando assim a experiência da marcenaria francesa.

Leia mais Menos

image

Um ambiente atemporal, luxuoso e relaxante

Relaxe e caminhe ao ar livre:

Um parque magnífico, o charme de um “jardim branco”, os aromas da horta e a tranquilidade de uma piscina na beira de uma floresta

O Château d’Audrieu alegra-se em um parque com 20 hectares e 5 hectares de jardins paisagísticos criados em 1985 pelo paisagista Louis Benech. Incluem um jardim à la française (um jardim clássico francês), um jardim inglês, o “jardim branco”, o “jardim de rosas” e a horta.

Alain Scelles, o jardineiro, começou a trabalhar no Château como um aprendiz há 27 anos! Esta parte do terreno foi totalmente preservada.

Após poucos passos para dentro do Cour d’Honneur, o parque aparece como uma joia harmoniosa, com os seus dois pavilhões proeminentes, com canteiros de flores em estilo francês em um ambiente refinado, charmoso, discretamente luxuoso e o convívio agradável de propriedade característica.

O parque no estilo inglês é formado por árvores tricentenárias, incluindo numerosas espécies: faias, carvalhos, freixos, castanhas e cedros.

Este parque magnífico oferece mais de três quilômetros de vielas onde você pode fazer um passeio e relaxar, enquanto ouve o canto dos pássaros.

Os hóspedes também poderão relaxar na piscina aquecida ao ar livre, escondida da vista e rodeada por vegetação. Em 2017, o Spa completará o pacote de bem-estar.

Leia mais Menos